Tecnologia e meio ambiente: qual a ligação?

Foto de Tecnologia e meio ambiente: qual a ligação?

Nos dias atuais, entendemos que o advento tecnológico pode trabalhar a favor dos mais diversos segmentos sociais. Mas quando tratamos da relação entre tecnologia e meio ambiente, ainda existem dúvidas sobre os pontos positivos e as possíveis falhas envolvidas.

Por isso, viemos esclarecer algumas questões acerca do assunto, demonstrando que as inovações podem sim – em muitos momentos – atuar pelo benefício da natureza e da sustentabilidade.

Tecnologia e meio ambiente realmente combinam?

Quando pensamos no futuro do planeta, entendemos que existem questões preocupantes – como a superlotação mundial – que nos afetarão dentro de alguns anos caso as medidas necessárias não sejam tomadas.

Por isso, é fundamental pensarmos em soluções eficazes para positivar o desenvolvimento do ser humano, de forma geral, propiciando a evolução das sociedades. A tecnologia surge como uma alternativa inteligente nesse cenário, demostrando que é possível tornarmos o cotidiano moderno mais sustentável, defendendo um espaço vital no qual existam as condições de vida ideais para os indivíduos em questão.

Sabemos que o ser humano, por si só, é inovador. São muitas as invenções já criadas que nos provam o quanto a tecnologia e o meio ambiente podem ajudar um ao outro.

Quais as soluções já desenvolvidas?

Trouxemos alguns exemplos de soluções bastante interessantes desenvolvidas a partir da união entre tecnologia e meio ambiente. Acompanhe:

  • Cidade inteligente: a Audi desenvolveu um projeto que prevê o desaparecimento dos congestionamentos, facilitando a vida urbana e por consequência, preservando o meio ambiente pela menor necessidade de criação de novas pistas.
  • Novo modelo de turbina eólica: a Lego uniu tecnologia e meio ambiente através de um novo tipo de energia limpa, que envolve a utilização de uma turbina eólica feita a partir de peças ecológicas, o objetivo é contribuir para a preservação do natural e assim, para uma vida mais saudável.
  • Energia limpa: cientistas canadenses criaram um projeto que transforma gordura – através de diversos processos – em gás metano!

Então, essa relação é promissora?

Claro! Temos inúmeras provas de que a tecnologia pode colaborar positivamente para o desenvolvimento da sociedade e quando falamos sobre meio ambiente, não é diferente.

Investir em tecnologia é acreditar na capacidade da inovação de ajustar diversos setores da sociedade para que possamos realmente viver um futuro melhor.

E se você quer conhecer as soluções inteligentes que a TND pode levar até o seu dia a dia, basta acessar nosso site!

 

 

Gamer profissional: você sabe o que é?

 

Se você é um apaixonado por games ou conhece alguém assim, fique atento ao nosso conteúdo porque ele pode ser a chance de começar uma nova carreira como gamer profissional!

Isso mesmo, atualmente, os jogos são encarados como mais do que ferramentas de entretenimento. Com dedicação e habilidade, é possível tornar-se um profissional da área, ganhando reconhecimento e até mesmo um bom salário.

O que é um gamer profissional?

Um gamer profissional – também conhecido como “pro-player” – é o indivíduo que decide dedicar-se aos jogos e construir uma carreira na área. O que antes era considerado como puro entretenimento, hoje é um meio para obtenção de renda e conquistas considerado tão digno quanto qualquer outra função disponível no mercado.

Para comprovar essa afirmação, um debate iniciado na Campus Party 2018, maior evento de tecnologia e cultura nerd da América Latina, que contou com a presença de advogados especializados em direito desportivo, revelou que estes profissionais defendem o direito a carteira assinada e todos os benefícios inclusos em “trabalhos tradicionais”.

Neste sentido, sabemos que a Lei Pelé, que atua no amparo de esportistas, também atende ciberatletas.

Quais são os jogos inclusos na atividade?

Em geral, os jogos mais populares e bem aceitos por usuários costumam apresentar potencial para o desenvolvimento de uma carreira profissional. Listamos três das principais opções para que você possa começar a entender onde estão as oportunidades nesse segmento. Veja:

  • FIFA: o popular jogo de futebol já garante uma carreira para alguns dedicados jogadores, através de campeonatos – que incluem premiações – é possível apostar em sua habilidade e levar conquistas para casa.
  • League Of Legends: o famoso LOL também entra para a lista de jogos que contam com profissionais, através da formação de equipes e da participação em competições importantes deste universo, pode-se construir uma carreira de sucesso na área.
  • Counter-Strike: Counter-Strike é outro exemplo de jogo que admite a existência do gamer profissional, com a formação de times e competitividade acentuada no cenário.

Quero me tornar um gamer profissional! Por onde começo?

Ao que parece, não existe uma receita exata para iniciar carreira de sucesso como gamer profissional.

O primeiro passo é realmente amar games e dedicar-se ao máximo para desenvolver todas as habilidades necessárias, destacando-se entre os outros tantos jogadores ativos.

Além disso, é preciso estudar muito! Assim como em qualquer outra frente de atuação, o conhecimento é indispensável, aprimore-se sobre as funcionalidades do jogo escolhido, entenda as estratégias e acompanhe outros jogadores – já renomados – para entender o que realmente importa no segmento.

Mergulhe nesse universo. Conheça pessoas que também estão se dedicando aos jogos, faça parte da comunidade e procure compartilhar o seu conhecimento para assim, aprender com as ideias externas.

E acima de tudo, viva no mundo real! Mesmo que a sua intenção seja buscar por uma carreira de sucesso nos games, para que isso aconteça, é preciso cuidar da sua saúde, socializar-se com pessoas reais e viver além do virtual.

Com as dicas da TND Brasil e os aprendizados que você colherá no caminho, suas chances como gamer profissional serão grandes! Acredite em si mesmo e boa sorte.

Como surgiu a Microsoft?

 

Independente das preferências de cada pessoa relacionadas ao mundo digital, sabemos que algum produto ou serviço da Microsoft já foi utilizado pela maioria dos usuários de tecnologia em determinados momentos. A grandiosidade da empresa é reconhecida mundialmente e suas contribuições para os avanços tecnológicos são inúmeras. Mas você sabe como essa gigante iniciou sua jornada no mercado?

Hoje, nós responderemos a essa pergunta com detalhes fundamentais sobre a fundação da Microsoft e seu desenvolvimento ao longo dos anos.

Nasce a Microsoft

Em 1975, Bill Gates e Paul Allen – amigos de colégio – decidiram transformar a paixão em comum por computadores em um pequeno projeto de nome Microsoft (junção entre as palavras inglesas microcomputer e software) nos Estados Unidos.

O crescimento

De forma geral, podemos dizer que a Microsoft apresentou-se como um projeto promissor desde o início. No final do ano de 1976, a empresa alcançou balanço de $16,005, uma receita impressionante para a época.

Apenas dois anos depois a Microsoft chega ao Japão com seu primeiro escritório internacional, em uma parceria entre Bill Gates e Kazuhiko Nishi, que durou até o ano de 1986.

É importante lembrar que a empresa também deu largos passos no mercado norte-americano, onde em 1978 já contava com nova sede e nova equipe.

Os primeiros produtos

Quando falamos sobre a ascensão da Microsoft no mercado, precisamos citar alguns produtos que colaboraram intensamente para tal acontecimento. Como é o caso do Basic – e seus variantes – que se destacou como a principal linguagem de programação entre os anos 70 e 80.

Neste sentido, vale citarmos também o Z-80 SoftCard, primeiro hardware lançado pela equipe Microsoft, levado ao público em 1980.

Além disso, temos ainda uma versão alternativa do Unix, lançada também em 1980, que se tornaria o primeiro sistema operacional desenvolvido pela empresa e um dos grandes responsáveis pelo sucesso que conhecemos hoje.

Nessa mesma época, Bill Gates formou um importante laço com Steve Jobs, com a intenção de participar de um novo projeto da Apple. De acordo com parte das pessoas que conhecem esta história, Gates teria copiado a interface gráfica do Macintosh (primeiro computador pessoal da Apple com recursos avançados para trabalhar com imagem, som e vídeo) para vender algo semelhante através da Microsoft. Quando Steve Jobs descobriu o acontecimento, a parceria foi desfeita.

A ascensão

Foi durante a década de 1980 que o grande sucesso da Microsoft aconteceu, através de um acordo com a IBM (Internacional Business Machine), Gates e Allen propuseram-se a desenvolver um sistema operacional para uso no novo computador da empresa.

Porém, com um sistema incompleto, foi preciso que buscassem pela aquisição do Q-DOS, da Seattle Computer Products, para que pudessem aprimorá-lo e transformá-lo no MS-DOS (Microsoft Disk Operating System), que viria a ser o primeiro sistema operacional em disco da Microsoft.

Apesar dos esforços, quem pontuou neste momento foi Steve Jobs, com o Apple Lisa. A interface do MS-DOS não chamou tanta atenção quanto a que foi destaque pelo concorrente, que contava com interface gráfica e operação de teclado combinada com uso de mouse.

Apesar disso, os fundadores da Microsoft haviam adicionado uma cláusula no contrato com a IBM que garantia que os computadores da empresa utilizassem exclusivamente o sistema MS-DOS. Foi assim que este se tornou o padrão da época, para ser futuramente substituído pelo Windows, que contribui com o domínio da Microsoft em relação ao mercado de sistemas operacionais.

Do Microsoft Windows ao Azure

Para facilitar a utilização dos computadores, a Microsoft desenvolveu, em 1985, o Windows 1.0, sistema que utilizava o recurso do mouse, capacidade de utilização de recurso multitarefa, ícones, aplicativos, jogos, interface colorida e outras novidades cativantes.

Com isso, a credibilidade da empresa cresceria ainda mais, conquistando novos fãs ao redor do mundo e garantindo a total consolidação da marca no segmento da tecnologia, que ao longo dos anos passou a apresentar versões de produtos para usuários domésticos e corporativos.

Passando aos anos seguintes chega o Office, composto de um pacote de aplicativos com editor de texto, planilha eletrônica, banco de dados, controle de e-mails. E na sequência, é lançado o banco de dados SQL Server.

Avançando para o ano de 2010, a Microsoft lança a sua primeira plataforma de computação em nuvem, o Azure, destinada à operação de serviços e aplicativos baseada no conceito de contratação e manutenção de ambientes computacionais à distância.

Além de outros produtos e serviços que destacamos, como o Bing (pesquisa na internet), Xbox (console de games), MSN (Microsoft Network – serviços digitais) Surface, entre outros.

Nos dias de hoje

Como sabemos, a Microsoft continua sendo referência quando falamos sobre empresas capazes de desafiar os limites da tecnologia. De acordo com todas as informações ao decorrer do texto, compreendemos que a “rivalidade” criada entre a empresa de Bill Gates e a Apple, de Steve Jobs, é bastante antiga e traz consigo uma grande bagagem.

Ambos os criadores possuem seus méritos inegáveis, e neste sentido, não importam as preferências, já que estamos falando sobre gênios do universo tecnológico.

Serviços Microsoft com a TND

Na TND Brasil, oferecemos diversos produtos, serviços e soluções baseados na tecnologia Microsoft. Para conhecer todas as opções que elevarão o desempenho do seu negócio, entre em contato conosco através dos telefone de números (11) 3717-5537 ou (11) 3090-5537 e a nossa equipe lhe ajudará a encontrar as melhores condições para sua empresa.