Google Apps for Business agora é G Suite: 4 benefícios desta poderosa ferramenta

As ferramentas empresariais do até então conhecido do Google chamado Apps for Business agora para a ser chamado de G Suite, que oferece um oceano de soluções a qualquer empresa.

A baixa produtividade dos funcionários no Brasil é um dos principais obstáculos para o desenvolvimento do país.

Enquanto o empregado brasileiro médio produziu cerca de 10 dólares por hora de trabalho em 2013, os chilenos produziram quase o dobro. Não é à toa que esta é uma das principais preocupações dos empreendedores!

Às vezes, a falta de ferramentas adequadas é a grande vilã por trás do estancamento da produtividade. Quando este é o caso, a tecnologia deve ser sua aliada para fazer com que a sua empresa faça mais com menos!

O G Suite é uma das melhores ferramentas que existem para atingir este objetivo. Conheça suas vantagens neste artigo!

Como funciona o serviço do G Suite?

O G Suite é um pacote de ferramentas pensadas para impulsionar a produtividade de qualquer empresa. Ela inclui Google Drive, Gmail, Hangouts, Agenda e Google+, além do editor de texto, planilha eletrônica, apresentações entre outros que auxiliam no dia a dia a produtividade empresarial.

Quais são as vantagens de usar o G Suite?

O que empresas como Whirlpool, Cruz Vermelha e Vinícola Concha y Toro têm em comum? Simples: todas usam o G Suite para organizar e otimizar seu trabalho! Confira alguns dos benefícios que a tornam melhor opção para estas e muitas outras empresas ao redor do mundo:

1. Visualize e edite seus documentos de qualquer lugar

O G Suite não funciona apenas em computadores: há também versões para tablets e smartphones. Isto significa que você pode trabalhar em seus documentos de qualquer lugar; basta ter uma conexão com a internet.

2. Valorize o trabalho em equipe do seu time

Uma das possibilidades mais interessantes da G Suite é a coautoria. Ela permite que seus funcionários compartilhem documentos uns com os outros, além de trabalhar no mesmo arquivo simultaneamente, visualizando quem fez cada alteração. Assim, o trabalho em equipe fica mais simples e produtivo.

3. Conte com toda a segurança da computação em nuvem para armazenar seus dados

Todos os dados do G Suite ficam armazenados em servidores do próprio Google, que você pode acessar a qualquer momento, via internet. É a computação em nuvem.

Além da praticidade, esta é uma das formas de armazenamento mais seguras da atualidade. Isto significa que dados confidenciais e sigilosos estarão muito mais seguros do que na memória física de um computador.

4. Escolha o plano que melhor se adapta à sua empresa

Há diversos planos do G Suite, cada um com um valor distinto. Deste modo, você pode escolher aquele que mais se adapta à realidade e ao orçamento da sua empresa.

A TND Brasil é revendedora autorizada do G Suite!

É indiscutível: a G Suite é a melhor solução para alavancar a produtividade da sua empresa e torná-la mais rentável.

Não se esqueça de adquiri-lo através de um especialista para usufruir todos os seus benefícios sem dor de cabeça! A TND Brasil faz parte deste seleto grupo de parceiros.

Fale conosco através deste link e descubra tudo o que o G Suite pode te oferecer!

Telefone: +55 11 3717-5537

E-mail: contato@tndbrasil.com.br

Allo Chat: o aplicativo de inteligência artificial do Google

Allo

A última pesquisa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no final de 2016 aponta que 80,4% das pessoas com acesso à internet usam o celular para navegar nas redes sociais, e estamos nos tornando uma potência de interação na internet.

Não é por acaso que existe um boom na era digital onde diversos investidores criam e recriam redes sociais para cativar o envolvimento do público. Assim surgiu o Snapchat, Facebook, Instagram, Telegram e Whatsapp. Claro, o Google não poderia ficar de fora e por isso o seu último lançamento, Allo, veio para atualizar tudo que nós, brasileiros, conhecemos como inteligência artificial.

Tecnologia + inteligência artificial?

A sigla IA – representa a inteligência artificial da ciência da computação que elabora dispositivos que simulam a capacidade humana. Ou seja, são inteligências que pensam, agem, raciocinam, criam, resolvem e formulam situações assim como nós, seres humanos.

Pode parecer um pouco assustador ou algo que só acontece em filmes, mas isso já faz parte da nossa realidade. As máquinas também estão evoluindo e já existem robôs que executam funções simples, agora é uma questão de aperfeiçoamento.

Google ataca: A.I. Experiments

Allo: chat inteligente

O grande lançamento do Google deu uma vida extra ao Brasil já que nós somos o terceiro país a receber o aplicativo. Após três meses de diferença do lançamento oficial nos Estados Unidos, o Allo chega com o português prontinho para conversar e disponível para aparelhos Android e iOS. A ideia é impactar diretamente o mercado de países emergentes, já que o Google considera que esses lugares serão as grandes potências em usabilidade digital.

Google-Allo

Como funciona?

Imagina que o Google se torne uma terceira pessoa na conversa, ele auxilia em buscas e respostas sem você precisar sair da tela de bate papo, é só digitar @google e ele aciona o assistente à conversa. A interface é bem parecida com a do Whatsapp, mas com o botão extra “chatbot” – é ele que te dá à possibilidade de pedir ajuda ao Google.

Algumas informações recentes ainda não estão disponíveis em português. Como Allo funciona com um campo de busca ligado à internet, se as informações presentes na rede estiverem em inglês, ele não conseguirá traduzir para nossa língua de imediato. Mas o Google já tem um tradutor próprio e, dessa forma, é só acionar ao Allo o comando para traduzir qualquer informação.

Comando de voz, texto, fixador de imagens por tempo limitado é o diferencial do aplicativo. Você pode literalmente perguntar tudo! Dicas, comidas, curiosidades, novidades e o assistente do Allo te responde o que você quiser. Baixe o app e descubra as mais novas habilidades do Allo Google.

Google ataca: A. I. Experiments

Google

O Google revoluciona tudo que conhecemos sobre tecnologia da informação desde 1998, quando foi lançado oficialmente. Não é para menos, o site de busca mais famoso, conhecido como pai de todos, domina a tecnologia dos algoritmos. Nós vivemos para descobrir como ele funciona e conseguir se beneficiar desse sistema rico em indexações, varreduras, aplicativos, testes, buscas e infinidades de expoentes que fazem parte desse mundo.

Revolucionando de novo

A.I Experiments é um site do Google, que disponibiliza aos usuários que experimentem novos programas de criação da plataforma de inteligência artificial.

O objetivo é traduzir os estudos de forma prática para os usuários. Assim, o mundo de pesquisa Google se materializa. Para cada plataforma existe um estudo base de inteligência artificial, ou seja, uma porção de algoritmos ajuda a máquina a entender certas coisas.

Afinal, você já viu uma máquina decifrar um desenho ou dizer através de uma foto o que é o objeto principal? Ao contrário do ser humano, que possui memória, ensinar um sistema é mais difícil e mais lento.

A evolução em alguns passos

A mágica disso é desenvolver programas que aprendam a resolver problemas a partir de exemplos. Não são mais códigos rígidos que seguem um único padrão, são facilidades que eles aprendem. Um exemplo disso é o Google por voz. Ele aprendeu a identificar sua voz para captação da mensagem, isso se chama aprendizado de máquina.

Se você gosta de criação, vai adorar o artigo sobre a atualização do Paint.

O site A. I. Experiments ainda proporciona aos usuários que tem projetos de aprendizado de máquinas, que cadastrem o seu projeto e ajude nessa evolução.

Conheça alguns:

Quick Draw (Desenho rápido):

É um jogo produzido através da aprendizagem de máquina. Você desenha e a rede tenta adivinhar o que você está desenhando. Quando mais você brinca, mais ele aprende com as formas.

Giorgio Cam

Ao fotografar qualquer coisa, ele identifica o que vê, transformando a imagem principal em letra e canção. Além de configurar e pulsar a imagem em um remix.

O site também disponibiliza protótipos para o Google Play, assim, alguns deles podem ser testados no seu celular.

Google

Ink Space

Permite que você crie qualquer coisa em 3D. A plataforma tridimensional permite gifs, vídeo, intensidade de qualquer tipo de criação.

Não se esqueça de compartilhar o seu projeto de aprendizado de máquina e ajudar na evolução.

Chromecast: o mundo Smart TV

Chromecast

Precisamos estar conectados a toda evolução tecnológica a nossa volta. Somos movidos por novidades e quem não acompanha os lançamentos, fica para trás. As Smarts Tvs chegaram em 2011 com a proposta de integrar televisão e internet. O mundo Smart vem evoluindo e conversando cada vez mais com o mundo virtual e mobile. Além de proporcionar ao consumidor mais definição na imagem.

A evolução também ocorreu nos serviços que interligam a funcionalidade das Smart, ou seja, os aplicativos passaram a oferecer outras ferramentas com a interligação entre internet e comodidade da televisão.

Chromecast

Netflix, Globo Play, iTunes, são alguns exemplos de sistemas que conseguiram fornecer ao consumidor experiências positivas na tela grande.  

Uma nova possibilidade

Não conhece esse mundo maravilhoso? Não tem ideia de como isso funciona? Sua TV pode muito mais!

Pensando dessa forma o Google desenvolveu o Chromecast que é capaz de transformar a sua televisão em smart, possibilitando que ela execute as mesmas funções que uma TV moderna.

Chromecast

Isso não quer dizer que você conseguirá acessar plataformas de streaming, como Globo Play, por exemplo. Você adquire o aparelho Chromecast, mas os aplicativos só são adquiridos se você contrata o serviço, assim como uma transmissão particular.

Funcionalidade

O aparelho custa em média R$200,00 e não existem concorrentes mais fortes que as próprias televisões que já têm essa ferramenta embutida. Para conseguir usufruir da ferramenta é preciso ter no mínimo 5 MB, ou seja, não necessita de tanta internet, se você depende exclusivamente do Wi-fi.

O Chromecast consegue se conectar aos dispositivos Android, iPhone, iPad, PC e televisores. Imagine fazer seu celular de controle remoto ou parear com o YouTube. Agora é possível!

Outro ponto positivo é que você consegue conectar no celular, TV e computador, sem perder as outras funções, ou seja, você pode continuar executando ligações, por exemplo.

Para quem não vive no mundo smart, é uma ótima opção.

Depois do Google, Bing também favorece os sites para dispositivos móveis

Bing vai recompensar os sites mobile-friendly, seguindo os passos do concorrente Google

Acompanhando os novos critérios do Google, que no dia 21 de abril passado levou a considerar nos resultados das pesquisas em seu buscador uma maior relevância aos sites otimizados para dispositivos eletrônicos móveis, o Bing, motor de busca da Microsoft, também começa a favorecer os sites que se preocupam com o design responsivo (que adapta automaticamente o conteúdo ao formato da tela) no caso para smartphones e tablets.

Os internautas são informados pelo Bing quais sites dispõem de versões projetadas para um melhor desempenho e usabilidade em dispositivos móveis, através da inserção da tag (rótulo usado para informar ao navegador como deve ser apresentado o website) chamada de “mobile friendly” (compatível com dispositivos móveis, ou seja, as páginas de são exibidas perfeitamente, sem distorções e com facilidade de navegar).

Em levantamentos mais recentes sobre os hábitos de navegação pela internet, é apontado um aumento sobre as pesquisas em motores de busca a partir de smartphones e tablets.

Com isso, o Bing inseriu um novo algoritmo de busca que classifica melhor os sites adaptados para mobile nos resultados das pesquisas com base na navegação, legibilidade, scrolling e compatibilidade, ou seja, valoriza os menus, botões dos links das páginas com dimensões maiores a fim de facilitar os cliques, texto legível sem necessidade da ampliação do mesmo, ajuste do conteúdo da página com a largura da tela e finalmente ser compatível com o dispositivo em uso.

Visando com que os desenvolvedores web tenham tempo suficiente para ajustar seus sites, da mesma forma que o Google fez, a equipe do Bing divulgou que essas novas regras deverão acontecer efetivamente em seu ranking de busca nos próximos meses.

Publicidade pirata é a nova epidemia na internet, diz Google

Publicidade pirata é a nova epidemia na internet, diz Google

O Google acaba de divulgar resultados de uma pesquisa realizada no ano passado em que 5% dos internautas no mundo todo que navegam nos sites da companhia estão contaminados com algum tipo de software malicioso (malware) originado por adwares (programas que exibem automaticamente anúncios ao internauta quando navega nas páginas WEB), que é gerado através de propagandas divulgadas em sites e ao serem clicadas pelo usuário podem conter programas intrusos que acaba infectando o equipamento.
 
A base de dados da gigante americana aponta preliminarmente um volume registrado nesta pesquisa com cerca de 5 milhões de IPs (do inglês, Internet Protocol, que identifica o número do endereço na internet), que podem representar um número muito maior, pois alguns hackers se precavêm em inibir a manifestação dos adwares em sites de grandes empresas, o que impede que eles sejam todos detectados.
 
Parte da consequência da epidemia de adwares foi ocasionada pela Lenovo, multinacional chinesa fabricante de equipamentos de tecnologia, que entregou ao mercado computadores já instalados com um adware infectado, o chamado Superfish, que associado a um sistema intruso acabou sendo encontrado em mais de 3,7 milhões de acessos na pesquisa. A empresa chinesa garante que o problema foi resolvido.
 
Segundo o Google, além do Superfish, outros resultados indicaram o Jollywallet, Crossrider e o Netcrawl como sendo a maioria dos adwares encontrados no levantamento que fazem parte da lista da epidemia de malwares.
 
As principais causas de contágio do adware infectado são as propositais confusões que alguns instaladores causam aos usuários na hora de conceder ou não a permissão para um download. Botões e informações desencontradas acabam fazendo com que muitos internautas cedam às brechas sem se dar conta do que estão clicando, e assim autorizam a entrada de um intruso em sua própria máquina.

Um em cada três websites não atende às novas regras do Google

novas regras do Google

Conforme pesquisa recente realizada pela empresa de consultoria Forrester Research, atualmente existem em torno de 177 milhões de sites da internet, e calcula-se que cerca de 38% não estão compatíveis com as novas especificações do motor de busca do Google.

A partir deste mês de abril, o buscador rebaixou a posição no resultado de busca os endereços de sites que não se adaptam automaticamente às telas de smartphones e tablets.

Com as novas regras, o algoritmo mudou o posicionamento dos sites no Google Search e consequentemente rebaixou os construídos em Flash, os que não possuem design responsivo (que adapta o conteúdo ao formato da tela) e os que não oferecem links fáceis de serem clicados.

O Google decidiu mudar os critérios de qualificação dos sites em seu buscador levando em conta a facilidade que eles dão ao usuário de aparelho móvel, afinal, 89% dos acessos ao Search provêm desse tipo de dispositivo.

E portanto, para regular os ajustes sobre estas novas especificações, os donos de sites terão que readaptá-los o mais breve possível, apostando em manter os melhores posicionamentos nos resultados de busca.

Operadora de telefonia móvel será lançada pelo Google nos EUA

Operadora de telefonia móvel será lançada pelo Google nos EUA

Em declaração no Mobile World Congress realizado na cidade espanhola de Barcelona, o vice-presidente do Google, Sundar Pichai, confirmou que a empresa lançará sua própria operadora de telefonia móvel nos Estados Unidos dentro de alguns meses.

O porta-voz da gigante de tecnologia afirmou que a empresa já se juntou a parceiros, ainda sem revelá-los, para criar sua própria Operadora Móvel Virtual, conhecida pela sigla MVNO (original do inglês, Mobile Virtual Network Operator), que não possuirá infraestrutura de rede própria, e a alugará de outras empresas para oferecer seus pacotes.

A proposta é evitar competir com as grandes operadoras americanas que já atuam, e assim entrar neste novo mercado com um serviço em baixa escala e oferecer o conceito da linha de smartphones Nexus desenvolvido em parceria com uma fabricante.

Pichai comenta que a estratégia do Google é pensar em hardware, software e conectividade juntos, e fazer uma integração entre a internet móvel e o Wi-Fi, além de explorar a possibilidade de utilizar a conexão via internet para manter uma chamada de voz quando cair a ligação.

Até o momento não foi divulgado em que regiões a nova operadora do Google irá atuar, nem os preços dos serviços.

Busca por “ar condicionado” bate recorde no Google

Busca no Google

Com as altas temperaturas climáticas registradas no ano de 2014 e previsão para 2015 que continuem seguindo altos patamares, o volume gerado de busca do termo “ar condicionado” no Google também esteve em alta.

Segundo informações do Google Trends, plataforma que mede em uma escala de 0 a 100 as palavras mais pesquisadas em seu poderoso buscador, o termo “ar condicionado” atingiu o nível 100 e ainda ultrapassou 37 pontos em comparação à medição de 2014.

Outro termo que confirma as altas temperaturas que estamos tendo é “ventilador”, que também atingiu o patamar 100 na escala com 30 pontos acima do ano passado.

Se o calor continuar a registrar estes altos recordes, a tendência é que tenhamos novos termos que atingirão o topo da escala do Google Trends relacionados à economia de água bem como da energia elétrica.

Cresce em 2014 o número de pedidos de remoção de conteúdo no Google

Remoção no Google

A cada ano, o aumento de solicitações para remoção de conteúdo indevido e ilegal no Google tem um aumento considerável.

Somente em 2014 foram cerca de 345 milhões, comparado com apenas algumas dezenas no ano de 2008 de acordo com o TorrentFreak, blog dedicado em reportar as últimas notícias e acontecimentos sobre compartilhamento de arquivos BitTorrent (protocolo de rede que permite fazer o download de arquivos em geral), que acompanha toda a semana a movimentação dos registros no Google.

A gigante de buscas na internet relatou que chegou a alcançar mais de um milhão de links analisados em um único dia, e que grande parte das URLs (do inglês, Uniform Resource Locator, Localizador Padrão de Recursos) precisaram ser retiradas.

Ainda segundo o TorrentFreak, em 2014 quem mais fez solicitações foi o grupo BPI (British Phonographic Industry), do segmento da indústria britânica de músicas, com mais de 60 milhões de URLs problemáticas, e os sites 4shared.com, rapidgator.net e uploaded.net que totalizaram cada um em torno de cinco milhões de reclamações.