Descubra o que é Big Data e suas funções!

Foto de Descubra o que é Big Data e suas funções!

O universo da tecnologia da informação está sempre crescendo e trazendo novas tendências e ferramentas de trabalho. Neste sentido, surge o chamado Big Data, um conceito muito importante na área e que por isso, precisa ser abordado com riqueza de detalhes.

Hoje, esclarecemos as suas principais dúvidas acerca do assunto. Acompanhe nosso conteúdo e confira!

Mas afinal, o que é Big Data?

Big Data, em sua tradução literal, significa “grande arquivo”. Ou seja, trata-se de uma série de ferramentas que auxiliam nos momentos em que é necessário a análise ou a interpretação de uma grande quantidade de dados e tipos.

Esta solução permite que o profissional de tecnologia de informação trabalhe com muito mais velocidade e eficiência com informações não-estruturadas.

O que são informações não-estruturadas?

Informações não estruturadas ou dados não-estruturados podem ser definidos como dados que não possuem uma relação uns com os outros, ou que também não têm uma estrutura definida.

Podemos entender como dado não estruturado qualquer post feito pelo Facebook, fotos e vídeos, histórias no Instagram, tweets, dados sobre localização ou outro que aponte um comportamento do usuário.

Quais as funções do Big Data?

Dados surgem aos milhões a cada minuto, são muitas informações de todos os tipos em uma quantidade exorbitante, o que torna muito difícil realizar uma análise ou interpretação de forma rápida, prática e eficiente. É neste momento em que o Big data se faz necessário.

O conjunto de ferramentas, bancos de dados mais extensos e outras estratégias permite que seja possível trabalhar com todo este volume de informação com velocidade e eficiência.

As ferramentas de Big Data são bastante utilizadas para a criação de estratégias de marketing. Elas permitem que o trabalho seja mais produtivo, com menor custo e com decisões mais inteligentes.

Também são muito aplicadas para entender o comportamento do consumidor e oferecer a ele soluções personalizadas de acordo com o que escolhe consumir dentro de uma plataforma. Um grande exemplo está nas sugestões feitas em aplicativos como Netflix e Spotify que são baseadas naquilo que costumamos ver ou ouvir.

Cada escolha de filme, série, álbum ou até mesmo playlist gera dados, que quando analisados formam um perfil de usuário que oferece aquilo que queremos sem que precisemos pedir.

A mesma lógica costuma ser utilizada com dados gerados em pesquisas do Google ou sobre produtos que auxiliam na escolha dos anúncios que iremos receber.

Para saber mais sobre as melhores soluções em Tecnologia da Informação, como manter-se protegido de ameaças virtuais e obter o melhor suporte de internet para a sua empresa, venha nos conhecer.

 

Descubra o cientista de dados!

Foto de Descubra o cientista de dados!

Junto ao avanço da tecnologia, surgiram diferentes profissões que auxiliam nas mais diversas camadas da sociedade. Assim, o cientista de dados ganhou espaço no mercado, cumprindo uma das mais requisitadas funções atualmente.

Se você ainda não conhece o trabalho realizado por esses profissionais, está na hora de descobrir mais sobre o assunto e entender como as atividades desempenhadas por essa área impactam o seu dia a dia.

O que é um cientista de dados?

O cientista de dados é o responsável por aplicar conceitos, processos e técnicas, criando soluções inteligentes em empresas dos mais diversos segmentos. São considerados como “profissionais da nova geração”, estudando e analisando informações para impulsionar assertivamente a tomada de decisões.

Embora a ciência de dados já exista há cerca de 30 anos, apenas recentemente ganhou destaque através do desenvolvimento de ferramentas e campos como o Big Data e o machine learning, por exemplo.

Quais as principais funções?

Este é um trabalho que permite diferentes aplicações e com isso, exige os mais variados conhecimentos. Em geral o cientista de dados exerce as seguintes ocupações:

  • Coleta de grande de quantidade de dados e transformação em formatos utilizáveis;
  • Solução de situações de negócio através da orientação por dados;
  • Análise e aplicação de diversas linguagens de programação;
  • Trabalho com estatística e realização de testes utilizando a técnica;
  • Intermediação e colaboração entre as áreas de TI e gestão;
  • Identificação de tendências para auxílio nos mais diversos segmentos de uma empresa, desde o marketing até o financeiro;

Quais os principais domínios de um cientista de dados?

O cientista de dados deve ser capaz de dominar os mais diversos conhecimentos. Em suma, existem alguns temas comuns no dia a dia desses profissionais, tais como:

  • Machine learning: entendimento de algoritmos e automação, voltados para a área de inteligência artificial.
  • Deep learning: um segmento complexo e específico do machine learning que usa dados para diferentes funções.
  • Data preparation: conversão de dados brutos para melhor utilização.
  • Verificação de conteúdo: análise de dados não estruturados para possíveis insights em relação ao negócio.

Como pudemos ver, o cientista de dados é um profissional indispensável para o desenvolvimento da sociedade em que vivemos hoje. Com uma extensa gama de atividades envolvidas em sua rotina e uma grande responsabilidade no que diz respeito ao crescimento da tecnologia, como um todo, essa área da ciência deve alcançar avanços surpreendentes nos próximos anos!

Nós estaremos de olho e mantendo você informado, é claro!

 

 

Tecnologia hospitalar renova processos

Foto de Tecnologia hospitalar renova processos

Para promover o desenvolvimento da área da saúde, a tecnologia hospitalar surgiu como uma ajuda mais do que bem-vinda! Com ela, soluções inteligentes revolucionaram o ambiente de hospitais, clínicas e centros médicos, em geral, otimizando processos e melhorando o atendimento.

A partir disso, entendemos que investir em inovação tecnológica nesse ambiente é extremamente necessário, afinal, quando tratamos de uma questão tão delicada quanto o bem-estar humano, depender apenas da capacidade de pessoas para gerir todos os procedimentos pode ser bastante arriscado.

O que é tecnologia hospitalar?

Como o nome já diz, tecnologia hospitalar é a aplicação de soluções tecnológicas no ambiente médico. Com ela, é possível tornar as ações do dia a dia mais rápidas e assertivas, garantindo um tratamento aperfeiçoado para os pacientes em questão.

Sabemos que nem todas as instituições contam com essas ferramentas, mas o crescimento da adesão mostra-se contínuo e muito relevante, transformando a realidade de tratamentos em diversas ocasiões.

Quais inovações tecnológicas estão inclusas?

São inúmeras, por isso, escolhemos algumas das principais para reforçar a importância de investir nessa combinação. Veja:

  • Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP): essa é uma ficha virtual que reúne todas as informações clínicas de um paciente em questão, evitando o preenchimento manual de formulários, que costumavam ser guardados em determinadas salas, dificultando o acesso e tornado recorrentes situações de perda de materiais.
  • Computação em nuvem: com essa possibilidade, o armazenamento de dados é muito mais seguro, mantendo íntegras as informações.
  • Telerradiologia: esse serviço realiza a emissão de laudos em hospitais sem a necessidade de que um profissional da radiologia esteja presente.
  • Big Data/Google Analytics: ferramentas que tornam possível reunir informações e realizar análises, integrado ao PEP.
  • Wearables: conhecidas como “tecnologias vestíveis” permitem que os sinais vitais dos pacientes sejam continuamente monitorados, funcionando através de pulseiras, braceletes, relógios de pulso, entre outros.

Quero investir! Como começar?

O primeiro passo para realizar o seu investimento em tecnologia hospitalar é escolher uma empresa de confiança, que trabalhe com produtos ou serviços de alto desempenho.

Se você precisa de auxilio nesse sentido, confie na TND Brasil. Somos especialistas em tecnologia da informação e oferecemos as mais diversas soluções para alavancar todo tipo de negócio.

Computação em nuvem, Data Center, Aluguel de Equipamentos e muito mais! Acesse nosso site conheça as opções e entre em contato. Estaremos te esperando.

 

 

 

 

 

Computação em nuvem: tendências para esse ano!

Foto de Computação em nuvem: tendências para esse ano!

 

Sabemos que a área da computação em nuvem representa um dos principais pilares do universo da tecnologia, trazendo diversas soluções que surpreendem em funcionalidade e inovação.

Para garantir que você realize investimentos que valem a pena, trouxemos algumas das principais tendências deste campo apontadas para o ano de 2019! Confira nosso conteúdo e continue avançando em direção ao sucesso do seu negócio.

O que é computação em nuvem?

Resumidamente, podemos dizer que computação em nuvem é o conceito que define a possibilidade de acessar documentos e executar diversas tarefas através da internet, dispensando a instalação de aplicativos, já que o armazenamento de dados é feito através de uma rede de serviços online, que chamamos de “nuvem”.

Caso você queira entender mais profundamente sobre o significado desse serviço, seu funcionamento e vantagens, recomendamos que acesse este conteúdo.

 Quais as principais tendências?

Para que você saiba quais são os futuros impactos que a computação em nuvem pode exercer sobre o seu negócio, acompanhe as tendências para 2019!

  • Hibridismo: de forma geral, acredita-se que o futuro da computação em nuvem não é público ou privado, mas híbrido. Nele, diversos serviços deverão dialogar entre si, fazendo com que as necessidades particulares de cada usuário sejam mais facilmente atendidas.
  • Segurança: o fator segurança deve aparecer de forma reforçada durante este ano no que trata da computação em nuvem, e muito disso está ligado com a fiscalização do GDPR (Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados), que entrou em vigor durante 2018.
  • Automação: embora não seja uma regra estabelecida, trabalhar na nuvem com processos predefinidos é uma das ações que ganhou força ao longo dos últimos anos e promete aparecer com ainda mais intensidade em 2019.

Em 2019, devo apostar na nuvem?

A resposta para essa pergunta é definitivamente positiva! Você deve apostar na computação em nuvem durante este ano, já que os benefícios oferecidos por essa opção são inúmeros e aperfeiçoam de diversas formas o seu trabalho no dia a dia.

Consulte os especialistas da TND Brasil para entender mais sobre as soluções proporcionadas por esse serviço e invista com assertividade na evolução do seu negócio. Confie em quem entende do assunto e comece a parceria ideal.

 

Inovação empresarial: qual a importância?

Foto de Inovação empresarial: qual a importância?

Em um cenário cada vez mais competitivo e globalizado, a inovação empresarial surge como um fator extremamente necessário para a sobrevivência e evolução de qualquer negócio.

Hoje, já não é possível crescer apenas com o básico. Com um público muito mais exigente e um mercado repleto de possibilidades, a criatividade e a tecnologia surgem como grandes aliadas para quem age estrategicamente.

Por que devo investir em inovação empresarial?

Além das razões citadas acima, trouxemos alguns outros motivos importantes pelos quais você deve começar o seu investimento em inovação empresarial.

  • Economia: reinventar os processos da sua empresa pode ser uma ótima forma de descobrir como produzir mais, gastando menos. Afinal, o mundo moderno passa por transformações a todo momento, e por isso, continuar mantendo os mesmos hábitos é uma maneira pouco inteligente de conduzir o seu negócio.
  • Otimização: Além disso, quando você pensa em inovação empresarial, automaticamente pensa em tecnologia, e com isso, torna as atividades da sua empresa muito mais eficientes e dinâmicas, otimizando o tempo de trabalho dos seus funcionários.
  • Destaque: inovar é levantar a bandeira da sua empresa em uma multidão de outras corporações que ainda trabalham com o comum, para realmente alcançar os seus objetivos, é preciso acreditar na sua identidade e mostrar as razões que te fazem único.

Como eu posso começar?

Primeiro, você precisa definir quais são os objetivos do seu negócio, as oportunidades e os pontos a serem aperfeiçoados. Assim, você irá entender quais atividades e processos mais necessitam da sua atenção.

Nesse sentido, a TND Brasil é a parceira ideal para trabalhar ao seu lado. Aqui, todos os serviços são desenvolvidos pensando no sucesso de nossos clientes, elevando o potencial de cada negócio e assim, garantindo inúmeras conquistas.

Somos especialistas em inovação – e inovamos através do que a tecnologia pode oferecer de melhor – nossos profissionais estão sempre prontos para aplicar todo o conhecimento de acordo com as suas necessidades específicas.

Além disso, contamos com parceiros que compartilham dos nossos valores.

Quando falamos sobre inovação empresarial, nos colocamos como referência. Quer comprovar? Entre em contato conosco através do número (11) 3717-5537 e faça mais do que o comum. Faça como a TND.

Tecnologia e educação: como unir essas áreas?

Foto de Tecnologia e educação: como unir essas áreas?

 

Você sabe qual a importância de unir tecnologia e educação? Desde pequenos, quando frequentamos a escola, até o momento em que nos tornamos profissionais e buscamos por especialização, aprender é extremamente necessário, surgindo como um ato contínuo em nossa sociedade.

Dessa forma, as descobertas tecnológicas podem representar um grande avanço, auxiliando no ensino e tornando mais dinâmicas as atividades dentro e fora de sala de aula. Quer descobrir mais sobre o assunto? Então continue realizando a leitura!

Benefícios ao combinar tecnologia e educação

Quando tecnologia e educação caminham lado a lado, as vantagens podem ser inúmeras! Selecionamos algumas das principais para que você entenda o quão importante é o investimento nessa incrível dupla. Confira:

  • Mais qualidade no ensino: com o uso dos dispositivos tecnológicos é possível tornar o ensino mais qualificado, permitindo que alunos e professores se aprofundem nos assuntos de interesse e descubram um leque de novas possibilidades.
  • Aulas inovadoras: prender a atenção de alunos pode ser um desafio nas escolas, através da tecnologia, as aulas se tornam mais atraentes e com isso, o aprendizado é muito mais fácil.
  • Acessibilidade: com o uso da tecnologia, pode-se disseminar a informação para diferentes classes sociais e culturas, fomentando o desenvolvimento da sociedade como um todo e fortalecendo as oportunidades para as mais diversas camadas.
  • Otimização do tempo: utilizando os recursos tecnológicos é possível otimizar o uso do tempo, distribuindo as atividades do dia a dia e encaixando o aprendizado nos melhores horários, afinal, conteúdos online costumam estar sempre disponíveis.

Conheça ferramentas fundamentais

Se você deseja desfrutar da junção entre tecnologia e educação, é importante conhecer algumas ferramentas essenciais que podem te auxiliar nessa jornada. Veja:

  • Duolingo: se o seu objetivo é aprender um novo idioma, o aplicativo Duolingo é a escolha certa, considerado como uma das melhores ferramentas desse segmento em todo o mundo.
  • Google for education: esse serviço disponibiliza diversos recursos que podem ajudar alunos, professores, pesquisadores e organizações, desde o jardim de infância até o doutorado.
  • Geekie: o site e o aplicativo móvel permitem o aprendizado e a preparação para importantes exames, como o ENEM!

E se você está buscando por soluções inovadoras para atender a sua empresa – não somente no segmento da educação – conte com a TND Brasil! Em nosso site, você conhece todos os produtos e serviços de excelência que oferecemos para o seu negócio. Acesse já!

 

Como surgiu a Microsoft?

 

Independente das preferências de cada pessoa relacionadas ao mundo digital, sabemos que algum produto ou serviço da Microsoft já foi utilizado pela maioria dos usuários de tecnologia em determinados momentos. A grandiosidade da empresa é reconhecida mundialmente e suas contribuições para os avanços tecnológicos são inúmeras. Mas você sabe como essa gigante iniciou sua jornada no mercado?

Hoje, nós responderemos a essa pergunta com detalhes fundamentais sobre a fundação da Microsoft e seu desenvolvimento ao longo dos anos.

Nasce a Microsoft

Em 1975, Bill Gates e Paul Allen – amigos de colégio – decidiram transformar a paixão em comum por computadores em um pequeno projeto de nome Microsoft (junção entre as palavras inglesas microcomputer e software) nos Estados Unidos.

O crescimento

De forma geral, podemos dizer que a Microsoft apresentou-se como um projeto promissor desde o início. No final do ano de 1976, a empresa alcançou balanço de $16,005, uma receita impressionante para a época.

Apenas dois anos depois a Microsoft chega ao Japão com seu primeiro escritório internacional, em uma parceria entre Bill Gates e Kazuhiko Nishi, que durou até o ano de 1986.

É importante lembrar que a empresa também deu largos passos no mercado norte-americano, onde em 1978 já contava com nova sede e nova equipe.

Os primeiros produtos

Quando falamos sobre a ascensão da Microsoft no mercado, precisamos citar alguns produtos que colaboraram intensamente para tal acontecimento. Como é o caso do Basic – e seus variantes – que se destacou como a principal linguagem de programação entre os anos 70 e 80.

Neste sentido, vale citarmos também o Z-80 SoftCard, primeiro hardware lançado pela equipe Microsoft, levado ao público em 1980.

Além disso, temos ainda uma versão alternativa do Unix, lançada também em 1980, que se tornaria o primeiro sistema operacional desenvolvido pela empresa e um dos grandes responsáveis pelo sucesso que conhecemos hoje.

Nessa mesma época, Bill Gates formou um importante laço com Steve Jobs, com a intenção de participar de um novo projeto da Apple. De acordo com parte das pessoas que conhecem esta história, Gates teria copiado a interface gráfica do Macintosh (primeiro computador pessoal da Apple com recursos avançados para trabalhar com imagem, som e vídeo) para vender algo semelhante através da Microsoft. Quando Steve Jobs descobriu o acontecimento, a parceria foi desfeita.

A ascensão

Foi durante a década de 1980 que o grande sucesso da Microsoft aconteceu, através de um acordo com a IBM (Internacional Business Machine), Gates e Allen propuseram-se a desenvolver um sistema operacional para uso no novo computador da empresa.

Porém, com um sistema incompleto, foi preciso que buscassem pela aquisição do Q-DOS, da Seattle Computer Products, para que pudessem aprimorá-lo e transformá-lo no MS-DOS (Microsoft Disk Operating System), que viria a ser o primeiro sistema operacional em disco da Microsoft.

Apesar dos esforços, quem pontuou neste momento foi Steve Jobs, com o Apple Lisa. A interface do MS-DOS não chamou tanta atenção quanto a que foi destaque pelo concorrente, que contava com interface gráfica e operação de teclado combinada com uso de mouse.

Apesar disso, os fundadores da Microsoft haviam adicionado uma cláusula no contrato com a IBM que garantia que os computadores da empresa utilizassem exclusivamente o sistema MS-DOS. Foi assim que este se tornou o padrão da época, para ser futuramente substituído pelo Windows, que contribui com o domínio da Microsoft em relação ao mercado de sistemas operacionais.

Do Microsoft Windows ao Azure

Para facilitar a utilização dos computadores, a Microsoft desenvolveu, em 1985, o Windows 1.0, sistema que utilizava o recurso do mouse, capacidade de utilização de recurso multitarefa, ícones, aplicativos, jogos, interface colorida e outras novidades cativantes.

Com isso, a credibilidade da empresa cresceria ainda mais, conquistando novos fãs ao redor do mundo e garantindo a total consolidação da marca no segmento da tecnologia, que ao longo dos anos passou a apresentar versões de produtos para usuários domésticos e corporativos.

Passando aos anos seguintes chega o Office, composto de um pacote de aplicativos com editor de texto, planilha eletrônica, banco de dados, controle de e-mails. E na sequência, é lançado o banco de dados SQL Server.

Avançando para o ano de 2010, a Microsoft lança a sua primeira plataforma de computação em nuvem, o Azure, destinada à operação de serviços e aplicativos baseada no conceito de contratação e manutenção de ambientes computacionais à distância.

Além de outros produtos e serviços que destacamos, como o Bing (pesquisa na internet), Xbox (console de games), MSN (Microsoft Network – serviços digitais) Surface, entre outros.

Nos dias de hoje

Como sabemos, a Microsoft continua sendo referência quando falamos sobre empresas capazes de desafiar os limites da tecnologia. De acordo com todas as informações ao decorrer do texto, compreendemos que a “rivalidade” criada entre a empresa de Bill Gates e a Apple, de Steve Jobs, é bastante antiga e traz consigo uma grande bagagem.

Ambos os criadores possuem seus méritos inegáveis, e neste sentido, não importam as preferências, já que estamos falando sobre gênios do universo tecnológico.

Serviços Microsoft com a TND

Na TND Brasil, oferecemos diversos produtos, serviços e soluções baseados na tecnologia Microsoft. Para conhecer todas as opções que elevarão o desempenho do seu negócio, entre em contato conosco através dos telefone de números (11) 3717-5537 ou (11) 3090-5537 e a nossa equipe lhe ajudará a encontrar as melhores condições para sua empresa.

 

 

Fake News: como lidar com essa ameaça?

 

Você certamente já recebeu ou compartilhou alguma notícia de conteúdo duvidoso nas plataformas digitais. Esses materiais são conhecidos como fake news (em português, notícias falsas) e são considerados como uma ameaça para o senso crítico dos usuários, influenciando na tomada de decisões de diversos aspectos.

Para conscientizar nosso público sobre os perigos voltados para a disseminação de notícias irreais, desenvolvemos esta publicação. Lembre-se de compartilhar com a sua rede de amigos! Afinal, é importante estarmos todos cientes a respeito do assunto.

Como surgiu o termo fake news?

Considerando informações do Google Trends, foi durante as eleições norte-americanas de 2016 que o termo popularizou-se. O motivo para tal acontecimento foi o número exorbitante de notícias falsas espalhadas mundialmente que tratavam de propostas dos candidatos à presidência da época (Hillary Clinton e Donald Trump).

Vale lembrar que este momento da história não marcou o nascimento do termo fake news, mas o ponto em que sua propagação tornou-se acentuada. De acordo com o dicionário Merriam-Weber, a expressão já existe há mais de cem anos, entrando para uso no final do século 19.

Quais os reais perigos?

Quando uma notícia falsa se espalha pela internet, seu alcance é ilimitado. Pessoas de diferentes camadas sociais, culturas e crenças, são impactadas com tal conteúdo e suas reações podem ser mais as variadas.

Como qualquer outro tipo de conteúdo, as fake news possuem potencial para formar opiniões. E com isso, terminam por distorcer posicionamentos, dificultando o diálogo transparente entre grupos de pessoas e fomentando a confusão intelectual, o que significa retrocesso para a sociedade, como um todo.

Aqui, deixamos um exemplo: ao ler uma matéria falsa sobre tecnologia, que fala sobre a substituição integral de seres humanos por robôs em empresas, um usuário pode tomar medidas desnecessárias – e até mesmo preocupantes – sobre sua atuação profissional naquele momento.

Mas então, como devemos lidar?

Existem algumas ações simples que podemos realizar para evitar ou diminuir a disseminação de fake news.

O primeiro passo é verificar a veracidade do conteúdo antes de compartilhá-lo! Você pode fazer isso buscando por informações em fontes confiáveis, como jornais e revistas que realmente possuem credibilidade.

Além disso, é importante ler a notícia até o final! Não divulgue um conteúdo com base no texto da manchete, a tendência sensacionalista é uma das principais responsáveis pela disseminação de notícias falsas.

E por fim, não se esqueça de ser crítico. Avalie cada trecho do material antes de contribuir para o seu alcance, em muitas situações, você será capaz de notar por si só quando as fake news surgirem no ambiente digital.

Navegue com atenção e aproveite o que a tecnologia pode oferecer de melhor! E procurando por soluções de proteção e segurança para seus computadores, lembre-se de contar com a TND Brasil.

 

Tecnologia na infância: quais são os limites?

 

Quantas crianças você conhece que possuem acesso livre aos smartphones, computadores, tablets e videogames? Aposto que você se lembrou de pelo menos um pequeno que desfruta da tecnologia na infância.

O contato infantil com dispositivos digitais não é exatamente um problema. Mas a forma como esse uso acontece – tornando-se um vício em muitos casos – pode gerar complicações para a saúde física e mental das crianças. É por isso que este assunto precisa ser discutido.

Tecnologia na infância tem resultado correto?

A resposta para essa pergunta depende de diversos fatores. Certamente não podemos imaginar uma infância totalmente livre dos aparelhos tecnológicos nos dias de hoje, porém, é necessário repensar constantemente nos limites para tal interação.

Educar uma criança é sempre um desafio, neste ponto, devemos entender que como adultos, somos inteiramente responsáveis pelos hábitos que os menores fomentam. Por isso, é importante estarmos atentos para as restrições que devem ser aplicadas em caso de uso da tecnologia na infância.

De acordo com as decisões da Academia Americana de Pediatria (AAP) e da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), é recomendado que os pequenos só comecem a ter contato direto com equipamentos digitais a partir de 1 ano e 6 meses de idade.

Em geral, também não é recomendado que crianças passem mais do que 2 horas consecutivas interagindo com estes meios, respeitando intervalos de tempo de acordo com a idade do indivíduo em questão.

Quais os perigos da superexposição?

Considerando as afirmações da terapeuta canadense, Chris Rowan, o uso excessivo da tecnologia na infância pode ocasionar diversos problemas. Déficits de atenção, dificuldades de aprendizagem, atrasos cognitivos e complicações para lidar com emoções negativas, como a raiva, por exemplo, estão entre os itens dessa lista.

Além disso, a superexposição também pode impulsionar a dificuldade para dormir e a obesidade, de acordo com o nível de dependência da criança.

Como tornar essa experiência saudável?

Para que a tecnologia na infância se apresente como um fator benéfico, é necessário que os cuidados comecem em casa. Neste sentido, apenas os pais – ou responsáveis – são capazes de estabelecer regras para o uso de aparelhos tecnológicos e de estimular uma interação saudável.

Sobre essa questão, não é apenas o tempo de uso que está sendo considerado, mas a forma como a criança faz o acesso. Sabemos que a internet é um campo livre pelo qual circulam informações de diversos aspectos, muitas delas, levando conteúdos perigosos para os usuários que navegam por este vasto mundo digital.

Por isso, é preciso monitorar de perto o uso, checando quais aplicativos o seu pequeno está acessando e para quais fins. E para isso, já existem ferramentas de controle disponíveis no mercado, como o Spyzie e o Kids Place, por exemplo.

Se chegou a hora de introduzir a tecnologia no cotidiano da criança, fique tranquilo e saiba que muito sobre essa relação depende de você. Esteja sempre próximo, agindo com responsabilidade e com todo o amor que você certamente dedica diariamente. Assim, ela terá toda a orientação adequada enquanto estiver utilizando seu equipamento.

Machine Learning: entenda o conceito

 

Você sabe qual a importância do machine learning (em português, aprendizado de máquina) para a tecnologia? Essa técnica permite a análise de dados e torna automática a criação de modelos analíticos.

Parece surreal, mas esse método provou a teoria de que as máquinas podem aprender com dados, levando a Inteligência Artificial (IA) para outro patamar. Vale lembrar que tal capacidade depende minimamente da intervenção humana, o que significa que a ideia de que as máquinas podem alcançar resultados por si mesmas é mais uma vez reforçada.

Machine learning na prática

Com o avanço dos dispositivos, a aplicação do machine learning torna-se cada vez mais corriqueira. Podemos citar como exemplos da existência desse método as sugestões de músicas em aplicativos como o Deezer e o Spotify, e as indicações de filmes da Netflix.

Essas são formas simples através das quais as máquinas demonstram que podem assimilar dados complexos e aplicá-los com facilidade.

Quer mais um exemplo sobre como isso funciona? Certamente, você já recebeu recomendações de compras de empresas como a Amazon. Pois é, a essência do machine learning chegou ao seu dia a dia.

Um passo largo e muito relevante

O desenvolvimento e a aplicação do machine learning significaram um passo extremamente relevante em termos de descobertas tecnológicas. Com este conceito, a compreensão sobre as habilidades das máquinas foi renovada, os limites foram expandidos e com isso, fomos levados até o pensamento de que não podemos prever quais os próximos avanços que a tecnologia alcançará.

É o processamento de dados acontecendo com muito mais eficiência, rapidez e assertividade. As máquinas são capazes de lidar não apenas com um grande volume de informações, mas com conteúdos complexos, que exigem inteligência avançada – e não necessariamente humana.

Inteligência artificial e machine learning

Quando o aprendizado de máquinas entra em discussão, é importante reforçamos o fato de que existe uma diferença clara entre a Inteligência Artificial e este conceito.

Sobre isso, a IA é um campo abrangente que busca reproduzir a capacidade do ser humano de pensar.

Já o machine learning pode ser entendido como um segmento que existe dentro da área de IA, visando otimizar as capacidades adquiridas por máquinas e promover ainda mais avanços dentro do ambiente tecnológico.

Como parceira Microsoft, a TND Brasil pode lhe indicar o serviço em nuvem totalmente gerenciado que permite compilar, implantar em alguns cliques e compartilhar soluções de análise preditiva com facilidade: o Azure Machine Learning.

Acessado de qualquer dispositivo, em qualquer lugar, usando qualquer fonte de dados, o Azure Machine Learning é desenvolvido para aprendizado de máquina aplicado, baseado nos melhores algoritmos da classe e com uma interface pautada no modelo “arrastar e soltar”.